sexta-feira, 27 de junho de 2008

Deus e eu

Era luz!
Tudo brilhava. Tudo baixava. Tudo queria.
Tudo me via. Tudo me amava.
Era luz e eu não.
Era sabor sagrado. Sangrando unção.
Era tu e era eu
Frente a frente
Realeza e humilhação
Verso e aversão
Tudo e nada…
A escuridão embebia a minha pequenez.
Mergulhava e morria e ardia e sofria…
Era uma doença letal
Ruborizava a alma.
Era tu, luz e pão, sangue e unção.
Cruz e caminho,
Remédio
Luz!
Era…
Eu não!
Era luz cortante numa treva gritante.
Um celeste vencendo
Um impuro perdendo
A tua vitória
Era minha vitória
Era vida! Em abundancia
E eu… vida? Não sei
Era melodia
Eu não!

Eu! Um ronco rouco,
Um grito tosco, sem entonação.
Tu! Era tu
Eu! Não era eu.

Não sei quem era. Não era eu…? Era eu!
Era bom. E eu não
Era o bem e eu não
Era amor e eu desprezo
Era lágrimas
E eu risadas
Era risadas e eu lágrimas
Sempre um bom gosto.
Sempre desgosto.
Pecado. Sempre eu!
Misericórdia. Sempre tu!
Tu unia e eu apartava
Tu me entendia
Eu não
Sempre me vê
E eu! Cego!
Tu pastor que vigiava
Eu lobo que esperava
Tu pastor que amava
Eu ovelha desgarrada
Era dia… eu noite.
Era noite… eu escuridão.
Era muito e eu pouco
Passos seguros.
Eu… o pó do chão.
Tu criador
Eu criatura! Querendo criar…
Tu sempre amor
E eu achava que era ilusão.
Tu! Deus
Eu! Queria o seu lugar
Perdão e ingratidão
(…)
Tu e eu!
Pai e filho
Perdão e arrependimento
Céu e chão
Amor e entrega
Vitória e vitória
Alegria e felicidade
Eternidade e desejo
Criador e criatura
Poder e pequenez
Senhor e servo
Amor e obediência
Deus e eu.
Eu e só Ele
Pecador e perdão.
Voz e ouvidos
Ouvidos e voz
Me ama!
Te amo!
Filhinho!

Meu papai!
Te amo.
Sou teu!
Todo teu!
Sou grato!
Sou filho!
És pai!
És Deus!
(…)
Pai!


Eli Negreiros
27 de Junho de 2008

3 comentários:

Patrício disse...

Nossa que momento de inspiração... Poesia quase monossilabica, bastante pra retratar a grandeza de Deus e nossa pequenes perante Ele!
Ficou bom, gostei.

karine disse...

Muito bom, meu bem.
Concordo que estava bastante inspirado quando escreveu. mostra uma pequena parte do que somos diante de Deus NOSSO PAI..
Abraços!

Jákson disse...

Muito bom, gostei muitíssimo dessa inspiração que mostra como somos perante Deus.

Carta para o abandono

Intragável senhor,    Se soubesses como és desagradável me pouparia de sua companhia. Se ao menos soubesse evitá-lo... mas és um senh...